- RHBizz - https://www.rhbizz.pt -

“A existência de laboratórios de inovação é uma poderosa ferramenta para a cocriação”

É a cara da Altice Labs, empresa que se assume como um catalisador de inovação e transformação e esteve na 18ª ExpoRH para falar do potencial da criação de laboratórios de inovação no ecossistema das empresas para promover a colaboração. Alcino Lavrador acredita na importância de fomentar uma cultura de criatividade nas organizações. Saiba porquê.

A Altice Labs assume-se como um catalisador de inovação. Que iniciativas promovem nesse âmbito?

A promoção da Inovação suporta-se na obtenção do conhecimento e na capacitação das equipas com técnicas e ferramentas necessárias para Inovar. Na Altice Labs as iniciativas de promoção da Inovação endereçam três vetores: Tecnológico – conseguir o conhecimento prático das evoluções científicas e tecnológicas mais recentes; Mercado – conhecer o que faz a indústria do nosso sector, os produtos de mercado, as patentes, os planos estratégicos e operacionais dos nossos clientes e qual a tecnologia que irão necessitar para os conseguir atingir; Organização – garantir que as equipas da Altice Labs têm todo o conhecimento e ferramentas necessárias para se manterem curiosas, criativas, ágeis e inovadoras.

De que forma a criação de laboratórios de inovação dentro das empresas pode promover a cocriação?

A existência de laboratórios de inovação abertos, é uma poderosa ferramenta para a cocriação. Permitem uma prototipagem rápida de ideias que juntem contribuições de diferentes parceiros, da academia e de grupos de ‘fazedores’, que tiram partido da capacidade da empresa, seja das suas capacitações internas (recursos humanos e materiais), seja do acesso controlado ao mercado. Por isso, na Altice Labs criamos o Future Labs e o 5G Lab que nos permitem prototipar e validar ideias internas e externas.

A procura de inspiração fora do ‘ecossistema’ das organizações é importante na promoção de inovação?

Por maior que seja uma instituição, há sempre mais conhecimento fora dela que dentro. Daí que os ecossistemas de Inovação vão sendo mais alargados servindo como fonte de inspiração e de conhecimento. O ecosistema de Inovação da Altice Labs conta uma forte ligação à academia, com um processo de avaliação e seleção de startups (o programa ENTER) e com dezenas de parcerias com empresas tecnológicas. Criamos um outro instrumento, os laboratórios regionais em parceria com autarquias e regiões, tirando partido do ecossistema local de inovação e empreendedorismo, com foco nos problemas e desafios locais que possam resultar em soluções replicáveis. Sem esse ecossistema seria impossível inovar hoje em dia de forma sustentada.

‘Ousar’ faz parte da cultura organizacional da Altice Labs?

Ousar é parte integrante do nosso DNA, assim como o ‘Saber & Fazer’. Existimos por ousar desenvolver em Portugal a tecnologia mais avançada nas telecomunicações dos anos 50, tornando-nos o primeiro país do mundo a ter uma rede completamente automatizada, e em muitos outros exemplos como no desenvolvimento do serviço pré-pago ou na antecipação da futura tecnologia de fibra ótica. Cultivar uma cultura de criatividade tem sido fundamental para que diariamente se questione o status quo e se ouse experimentar algo diferente.