Liderança

Liderança no feminino: estratégias para mulheres em cargos de liderança

Liderança no feminino: estratégias para mulheres em cargos de liderança

108 anos é quanto falta, de acordo com o Fórum Económico Mundial, para atingirmos a paridade de género no local de trabalho. Apesar do longo caminho para percorrer, os países desenvolvidos estão perto de atingir um ‘ponto de viragem’, com cada vez mais mulheres a assumirem cargos de liderança.

A Forbes foi ouvir algumas das mulheres que integram o Forbes Coaches Council para saber quais as estratégias mais eficazes para mulheres em posições de topo. Partilhamos algumas consigo.

Faça-se ouvir. Com frequência

Sharma Graham, co-fundadora da M.A.D.E. To Lead, empresa de desenvolvimento, acredita que uma das competências mais importantes para mulheres em cargos de liderança é a capacidade de se fazer ouvir. De acordo com a coach, é importante que “trabalhe para construir o ‘músculo’ da assertividade. Mesmo que não lhe seja natural. A assertividade é um comportamento que se aprende. Encontre um mentor que o faça bem, faça muitas perguntas e aprenda com ele. Estabeleça pequenos objetivos e pratique”.

Olhe para o potencial, não para o passado

Nina Cashman, ativista e fundadora da Pave Your Way, defende que é importante que as mulheres em cargos de liderança aprendam a olhar para todas as oportunidades que existem para as mulheres. “As velhas histórias do nosso passado [como mulheres] irão continuar a bloquear-nos até que passemos a focar-nos em histórias mais felizes e que enfatizem o nosso potencial? Como é que um sexista ou chauvinista pode parar alguém que não lhe dá atenção? Aquilo em que nos focamos expande”, sublinha.

Perceba que é boa o suficiente

Jessica Hernandez, da Great Resumes Fast, serviço para a criação de CV’s online, recorda que é igualmente importante que as mulheres aprendam a não questionar as suas competências e decisões. “Se se aperceber que se está a recriminar ao final do dia pelas coisas que não foram feitas, pelas imperfeições ou até pelo desafio para atingir maior equilíbrio, encorajo-a a lembrar-se que é boa o suficiente. Não deixe que os pensamentos negativos impactem a sua carreira e a sua vida”, afirma.

Demonstre Coragem

Adena Johnston, Vice-Presidente da empresa de Desenvolvimento de Talento CCI Consulting, acredita que para as mulheres em cargo de liderança é importante a capacidade de demonstrar coragem e de ter uma voz própria.

Pare de procurar reconhecimento

Christian Muntean, fundadora da Vantage Consulting, acredita que umas das coisas mais importantes para uma mulher numa posição de liderança é reconhecer e estar confortável com o seu próprio trabalho e não esperar o reconhecimento de terceiros. Sim, todos queremos ouvir que nos estamos a sair bem, mas deve lembrar-se que há medida que vai subindo na hierarquia de uma organização, a qualidade e quantidade do feedback tende a decrescer. “Irá receber mais críticas ou afirmações vazias. Um forte sentido de autovalorização irá protegê-lo do cinismo”, explica.

A Liderança não tem género

Leila Bulling Towne, consultora e coach, diz que é importante que as mulheres se lembrem que a liderança não tem género. “Claro, as ideias que as mulheres devem considerar quando trabalham as suas competências podem ser diferentes das dos homens. Mas não são radicalmente diferentes. Quero que as mulheres líderes abordem o seu desenvolvimento sem se focarem no género. Abrace o que faz bem como pessoa”, defende.