Bem-estar

Bem-estar no trabalho: temos que ser mais proactivos?

bem-estar

É uma tendência na gestão de recursos humanos: o bem-estar dos colaboradores é hoje visto como um fator chave para o sucesso do negócio. Mas será que esta questão está a ser encarada da melhor forma pelos gestores? E você, já tem uma estratégia efetiva para garantir que a sua equipa se sente bem no seu local de trabalho? Já pensou no que pode fazer para melhorar o bem-estar dos seus colaboradores?

Quando se fala de bem-estar no local de trabalho é comum ouvirmos dizer que as estratégias das organizações devem incluir prevenção, intervenção e proteção. Já todos ouvimos falar de programas para incentivar o exercício físico, sessões de massagens no trabalho e, mais atualmente, de aulas de mindfulness.

As empresas mais envolvidas e mais ‘alerta’ para este tipo de questões, por sua vez, conseguem intervir quando veem um problema prestes a acontecer a nível do bem-estar dos seus colaboradores e tomam uma ação, por exemplo, reajustando as suas equipas quando percebem que aquelas que existiam até à data são potenciadoras de conflitos e, consequentemente, causadoras de mal-estar emocional.

Mas será que existe um modelo que sirva a todas as estruturas? Será que um modelo de uma multinacional pode funcionar numa empresa de pequena ou média dimensão?

Aquilo que sabemos é que um dos fatores mais importantes para assegurar o bem-estar da sua equipa é encorajar e promover uma comunicação aberta entre os seus colaboradores e os seus diretores diretos, seja por telefone, email ou no local de trabalho. E não…não existe um modelo que funcione para todos os seus colaboradores nem que funcione em todas as empresas.

É óbvio que os profissionais de Recursos Humanos já entenderam há muito tempo que o bem-estar das suas equipas é vital para o negócio, mas nem sempre é fácil justificar programas de bem-estar aos gestores de topo. Afinal, como é que se gera dinheiro através de atividades de bem-estar?

A nós, a resposta parece-nos muito simples! Uma equipa que se sente bem no seu local de trabalho é mais assídua, mais saudável e mais produtiva. Para além disso, é também uma equipa mais motivada e leal, o que a longo prazo se traduz numa boa taxa de retenção para a empresa.

E se está tentado em cortar nos custos que tem com os programas/estratégias de bem-estar da sua equipa, pense duas vezes! Já vários estudos conseguiram demonstrar que existem, de facto, benefícios financeiros que advêm do bem-estar das equipas nas organizações. De resto, há muita coisa que pode fazer ao nível de estratégias de bem-estar sem que para isso tenha que gastar dinheiro!

Uma das coisas mais simples, e também mais eficazes, pode ser simplesmente encorajar a sua equipa a fazer pausas ao longo do dia. Antes de pensar nos custos, pense no que o bem-estar da sua equipa pode trazer de positivo para a companhia. E seja proativo!

Se gostou deste artigo, siga-nos no Facebook.