Talento

E você, como está a atrair talento?

E você, o que está a fazer para atrair talento?

Tem responsabilidades de atração, retenção e desenvolvimento de talento? Então, atenção! Os tempos que se avizinham são de desafios e, se ainda não adaptou as suas estratégias de atração e retenção de capital humano a este novo mundo, está na altura de mudar as suas abordagens.

Não, não estamos a fazer futurologia. Estamos a falar do presente: várias demografias e perfis na mesma organização, novas tecnologias a chegar ao mercado todos os dias, mudança das competências necessárias para exercer uma função e uma completa alteração das expetativas tanto das organizações como dos seus colaboradores. Este é o ‘maravilhoso’ mundo novo dos Recursos Humanos e isto é o que já devia estar a fazer para não ficar para trás.

O que tem feito a sua empresa para atrair novos talentos? Ainda recorre ao ‘velhinho’ anúncio nos classificados do jornal? Ou já está no LinkedIn à caça dos melhores? Ou melhor ainda, a sua organização já tem uma estratégia de employer branding completamente definida e a funcionar?

Redefinir ‘talento’

De acordo com a maioria dos especialistas na área, a geração Millennials, que está a entrar no mercado de trabalho em força, tem expetativas completamente diferentes das gerações anteriores. A oportunidade de crescer e desenvolver novas competências no local de trabalho é um dos aspetos mais importantes para esta geração e pode ser o maior ponto diferenciador para a sua organização.

Outro dos aspetos mais esquecidos, e aparentemente também um dos mais importantes, é que deve implementar uma política de mobilidade interna. Quando precisa de alguém para uma nova função, procura dentro da sua própria organização ou ‘externaliza’ a contratação? Pode estar a perder grandes talentos…É que ‘escondido’ por detrás de qualquer outra função, pode estar aquele trabalhador que tanto deseja.

Para além disso, e isto é urgente para grande parte das organizações, é preciso redefinir o que significa ‘talento’. Esta é talvez a palavra mais sobreutilizada e mais utilizada indevidamente no mercado de trabalho atual, uma vez que para grande parte das organizações ainda significa apenas alguém com muitas competências e com elevado potencial.

Convenhamos, o mercado de trabalho está completamente saturado, com demasiada procura para a pouca oferta que existe e encontrar as pessoas com as competências adequadas talvez não seja o maior desafio numa contratação. Se conseguir alguém com capacidade de evoluir e aprender e capaz de utilizar as suas competências e iniciativa para ir ao encontro das necessidades da sua empresa e identificar novas oportunidades para o negócio, encontrou talento. Crie uma abordagem que permita à sua equipa mostrar aquilo que consegue fazer. E recrute a pensar no futuro…