Cultura

O que é que a AirBnB tem para ensinar sobre Employee Experience?

O que é que a AirBnB tem para ensinar sobre Employee Experience? Muito!

Qualquer pessoa que já tenha viajado pelo menos uma vez nos últimos dez anos já terá ouvido falar da AirBnB. Sim, essa empresa que transformou a forma como os turistas ficam hospedados, conhecem novas culturas e vistam locais em todo o mundo. Não será por isso de estranhar se lhe dissermos que a AirBnB é também uma das empresas mais inovadoras no que toca à Employee Experience.

Para alguns apenas uma buzzword, a Employee Experience é, na área dos Recursos Humanos, o tema do momento. Pelo menos no seio das organizações focadas na satisfação dos seus colaboradores, na produtividade e retenção de talentos.

Em 2017, a AirBnB ficou em 11º lugar no top 50 das melhores empresas para trabalhar do LinkedIn. É também conhecida por ser a empresa que oferece 2000 dólares por ano a cada trabalhador para viajar. Tudo isto porque percebeu desde cedo a importância de criar uma equipa dedicada à experiência, à saúde e à felicidade dos seus colaboradores.

Mark Levy, nomeado em 2015 para a posição de Global Head of Employee Experience da AirBnB, é não só responsável pelas funções típicas de um Diretor de Recursos Humanos, como recrutamento, gestão de talento e desenvolvimento, mas também por criar aquilo que chama “um local de trabalho de experiências”. Isto inclui responsabilidades como o design do local de trabalho, alimentação dos colaboradores, cidadania no local de trabalho e dar vida à cultura da organização.

Numa entrevista dada à Forbes, o responsável explica que “na AirBnB estamos focados em criar um mundo onde cada um pode pertencer a qualquer lado, através da criação de experiências de trabalho memoráveis que se refletem na forma como nos relacionamos com os colaboradores, incluindo como os recrutamos, como os desenvolvemos, o ambiente de trabalho, o tipo de experiências de voluntariado que lhes oferecemos e a comida que partilhamos. E apesar de isto poder parecer senso comum, não é. O espaço de trabalho da AirBnB deixou se ser um open space para passar a ser um ambiente de ‘pertence a qualquer lado’, em que o trabalhador pode trabalhar em qualquer espaço, incluindo no balcão da cozinha. Isto permite aos colaboradores ou trabalharem sozinhos ou estarem junto das pessoas que entenderem”.

Mais recentemente, a AirBnB lançou aquilo a que chamou ‘AirBnB’s Sustainable Performance Initiative’, um conjunto de medidas que se focam no stress e no burnout com o objetivo de ajudar os colaboradores a focarem-se em trabalhar melhor ao invés de mais.  De acordo com Mark Levy, o objetivo é “garantir que apoiamos uma vida integrada para os nossos colaboradores. Isto inclui oferecer coisas como a app Headspace ou aulas de yoga e rever as nossas políticas de folgas para garantir que apoiamos aqueles que são pais ou simplesmente precisam de uma pausa”.

Esta nova política da AirBnB criou ainda as ‘Quartas-feiras sem reuniões’ “para que as pessoas tenham tempo para pensar” e formações em eficiência em reuniões e resposta a emails”. Mas a ‘arma secreta’ por detrás do sucesso da Employee Experience da AirBnB tem a ver com o facto de a organização incentivar todos os colaboradores a serem autênticos, de acordo com o Global Head of Employee Experience.

Para Mark Levy, a força motriz por detrás de tudo o que a AirBnB faz é a sua missão para criar um ‘mundo’ em que todos possam sentir que fazem parte. Isto implica ter uma missão e um propósito que leve os colaboradores a tomarem as melhores decisões, tanto para a organização como para si próprios. “Uma experiência de colaborador verdadeiramente forte é impulsionada desde o topo e começa com as paixões e a missão da equipa de liderança. Os fundadores e os executivos criam a cultura e o propósito, que depois alimenta todos os outros aspetos da experiência.”

“Com um propósito forte, todos os colaboradores podem facilmente ver porque é que os líderes fazem o que fazem. A autenticidade ajuda a garantir que todos os aspetos da experiência dos colaboradores estão verdadeiramente focados nos colaboradores e ajuda-os a equilibrar o trabalho com a vida pessoal”, conclui.